TECNOLOGIA ASSISTIVA, PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS E O MERCADO DE TRABALHO

  • Cláudio Joaquim dos Santos Braga Universidade Estácio de Sá (UNESA)
Palavras-chave: tecnologia assistiva, pessoas com deficiências, mercado de trabalho

Resumo

Em um mundo cada vez mais informatizado, buscamos conhecer como a tecnologia assistiva pode auxiliar pessoas com deficiências diversas, na inclusão laboral. Justificamos a relevância do trabalho pois segundo Censo de 2010, temos 45 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência (23,9%) da população o que equivale a um número muito maior de habitantes de diversos países. A tecnologia está cada dia mais inserida no cotidiano das pessoas e em especial no mercado de trabalho cada vez mais competitivo. O objetivo é apresentar a tecnologia assistiva como recurso tecnológico e legislação que permite flexibilização e adaptações para que o deficiente possa ter sua cidadania na integralidade conhecendo seus direitos fundamentais. A tecnologia assistiva como recurso de apoio pode ser extremamente eficiente, pois permite certo grau de autonomia e em diversos casos, plena condição de proporcionar ao deficiente executar uma tarefa laboral com extrema competência o que sem essa tecnologia seria reduzida. Utilizaremos como metodologia a pesquisa bibliográfica e a experiência profissional do autor que contribui há décadas na inclusão de deficientes no mercado de trabalho. Como resultado apresentamos Leis que asseguram a inclusão e possibilitam a inclusão de deficientes no mercado de trabalho. Concluímos que os resultados a serem alcançados poderão auxiliar futuros profissionais no uso do computador através de tecnologia assistiva, dando oportunidade ao deficiente de concorrer a uma vaga de trabalho nesse mercado cada vez mais informatizado.

Referências

BERSCH, R. Introdução à Tecnologia Assistiva. In: SEMINÁRIO REGIONAL DE FORMAÇÃO DE GESTORES E EDUCADORES. EDUCAÇÃO INCLUSIVA: DIREITO À DIVERSIDADE, 2., 2005. Anais... Secretaria Municipal de Educação de Presidente Prudente. São Paulo: SEESP/MEC. 2005.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. DECRETO Nº 3.956, DE 8 DE OUTUBRO DE 2001. Promulga a Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiência. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2020.

BRASIL. DECRETO Nº 5.296 DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004. Regulamenta as Leis 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2020.

BRASIL. DECRETO Nº 6.949, DE 25 DE AGOSTO DE 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2020.

BRASIL. DECRETO Nº 7.612, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011. Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Plano Viver sem Limite. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2020.

BRASIL. LEI Nº 10.098, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2020.

BRASIL. Ministério Público Federal. O acesso de alunos com deficiência às escolas e classes comuns da rede regular. 2004. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2020.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa - Editora Paz e Terra, 2014.

GALVÃO FILHO, T. A. Tese de Mestrado. Tecnologia Assistiva para uma Escola Inclusiva: Apropriação, Demandas e Perspectivas. Salvador. Bahia. 2009. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico - Censo 2010 - Características gerais da população, religião e pessoas com deficiências. Principais resultados. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9662-censo-demografico-2010.html?edicao=9749&t=destaques Acesso em: 10 dez. 2020.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar 2016. Disponível em: https://www.gov.br/inep/pt-br/acesso-a-informacao/dados-abertos/microdados/censo-escolar Acesso em: 10 dez. 2020.

JATOBÁ, A.; MARTINS B.; SILVA, M. L. da; DA SILVA, V. F. Relações entre acessibilidade e colaboração em três ambientes virtuais. Revista Carioca de Ciência, Tecnologia e Educação (online). Rio de Janeiro: v. 3, n. 2, 2018. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2020.

PAIVA, L. L. de. Do giz colorido ao data show: uma conexão desconectada. Juiz de Fora: UFJF, 2010.

SOARES, M. de F.; ALMEIDA, V. E. de. A educação em direitos humanos e as novas tecnologias para o exercício da cidadania. Revista Carioca de Ciência, Tecnologia e Educação (online). Rio de Janeiro: v.5, n.1, 2020. E-ISSN 2596-058X. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2020.
Publicado
2020-12-11