O USO DE VÍDEOS COMO UM RECURSO DIDÁTICO EM AULAS DE QUÍMICA

PERCEPÇÃO DOS DISCENTES DE CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO DE UM INSTITUTO FEDERAL

Palavras-chave: uso de vídeos, ensino de Química, cursos técnicos integrados ao Ensino Médio, Instituto Federa

Resumo

A utilização de vídeos como recurso didático em sala de aula não é uma novidade, mas suas possibilidades mantém o interesse pela metodologia, sobretudo quando se considera o ensino de Química. Envolvendo conteúdos abstratos e práticas que podem ser incompatíveis com o contexto escolar, o ensino de Química pode ser extremamente beneficiado pelo uso de vídeos. Por isso, o objetivo dessa pesquisa exploratória e foi obter dados para a elaboração de práticas pedagógicas bem-sucedidas envolvendo o uso de vídeos em aulas de Química em cursos técnicos integrados ao Ensino Médio de um Instituto Federal. Para isso, um questionário foi distribuído presencialmente a 87 discentes matriculados em cursos técnicos de Hospedagem e Petróleo e Gás. Os resultados apontam que a metodologia é pouco utilizada por seus docentes e seria bem-recebida, principalmente na revisão de conteúdos. Considerando o público-alvo da ação educativa, os discentes também foram questionados sobre um tipo popular de vídeo entre os jovens, os seriados televisivos. Suas respostas indicaram que a abordagem desse tipo de vídeo seria uma escolha acertada e auxiliaria o processo de ensino-aprendizagem de Química pela possibilidade de engajar e motivar os discentes.

Referências

ARROIO, A.; GIORDAN, M. O vídeo educativo: aspectos da organização do ensino. Química Nova na Escola, São Paulo, v. 24, n. 1, p. 1-8, 2006. Disponível em: http://www.lapeq.fe.usp.br/meqvt/disciplina/biblioteca/artigos/arroio_giordan.pdf. Acesso em: 03 ago. 2018.
BRASIL. Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação Média e Tecnológica (Semtec). Parâmetros curriculares nacionais do ensino médio parte 3: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/Semtec, 2000.
_______. Ministério da Educação (MEC). Base nacional comum curricular: ensino médio. Brasília, DF: MEC, 2018a. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/04/BNCC_EnsinoMedio_embaixa_site.pdf. Acesso em: 13 ago. 2018.
CARVALHO, M. P. de; KANASHIRO, D. S. K. Mídias digitais e produção audiovisual na disciplina de Espanhol como língua estrangeira: uma experiência no ensino médio integrado ao técnico. Acta Scientiarum. Education, v. 43, n. 1, p. e48026, 23 nov. 2020. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciEduc/article/view/48026. Acesso em: 29 abr. 2022.
CASTRO, A. C. S. et al. Análise da visão de ciência e cientista a partir das séries de TV com licenciandos em química da UFRPE/UAST. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE JOVENS INVESTIGADORES - EDIÇÃO BRASIL, 3., 2017, Fortaleza. Anais Eletrônicos. Campina Grande: Realize Editora, 2018. v. 1, p. 1-12. Disponível em: https://www.editorarealize.com.br/revistas/joinbr/trabalhos/TRABALHO_EV081_MD1_SA4_ID1128_11092017222656.pdf. Acesso em: 05 fev. 2019.
CIDREIRA, I. A. et al. Utilização da série CSI como tema gerador de conhecimento para disciplina de química no ensino técnico. In: CONGRESSO NORTE-NORDESTE DE PESQUISA E INOVAÇÃO, 7., 2012, Palmas. Anais Eletrônicos. Palmas: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins, 2012. p. 1-8. Disponível em: http://propi.ifto.edu.br/ocs/index.php/connepi/vii/paper/viewFile/422/1123. Acesso em: 12 jan. 2019.
CORRÊA, H. T.; DIAS, D.R. Multiletramentos e usos das tecnologias digitais da informação e comunicação com alunos de cursos técnicos. Trab. Ling. Aplic., Campinas, v. 55, n. 2, p. 241-261, mai./ago. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tla/a/zQvRfYv8gdDXnWwFFhPFdrh/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 29 abr. 2022.
DUARTE, M. O. L.; VASCONCELOS, F. C. G. C. Identificação e análise de informações sobre química na série televisiva Bones. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (ENEQ) –– 18., 2016, Florianópolis, SC, Brasil. Anais Eletrônicos. Florianópolis, SC, Brasil: ENEQ, 2016. p. 1-11. Disponível em: http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R0405-1.pdf. Acesso em: 19 ago. 2018.
FERREIRA, C. M. A. Gestão do Design e Marketing Institucional na imagem corporativa do Instituto Federal Fluminense. Biblioteca Anton Dakitsch: Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos, Campos, p.1-21, 2014. Disponível em: http://bd.centro.iff.edu.br/xmlui/handle/123456789/92. Acesso em: 13 mar. 2018.
LOCATELLI, A.; MACUGLIA, U. As séries de TV como ferramenta pedagógica no ensino de química. Revista Thema, Pelotas, v. 15, n. 4, p. 1294-1301, 03 out. 2018. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense. Disponível em: http://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/1086/956. Acesso em: 10 dez. 2018.
LOCATELLI, A.; ZOCH, A. N.; TRENTIN, M. A. S. TICs no ensino de química: um recorte do “estado da arte”. Revista Tecnologias na Educação, [s.l.], v. 7, n. 12, p. 1-12, jul. 2015. Disponível em: http://tecedu.pro.br/wp-content/uploads/2015/07/Art19-vol12-julho2015.pdf. Acesso em: 03 ago. 2018.
MANDARINO, M. C. F. Organizando o trabalho com vídeo em sala de aula. Morpheus: Revista Eletrônica em Ciências Humanas, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 1-11, 2002. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/morpheus/article/view/4014/3582. Acesso em: 19 dez. 2018
MARQUES, L. S.; ROZENFELD, C. C. F. Uso de seriados televisivos no ensino de alemão: aspectos linguísticos, socioculturais, ideológicos e político-sociais em Deutschland 83. Pandaemonium, São Paulo, v. 21, n. 33, p. 64-86, jan./abr. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pg/v21n33/1982-8837-pg-21-33-00064.pdf. Acesso em: 10 ago. 2018.
MARQUES, N. B. de M. A organização curricular dos cursos técnicos integrados ao Ensino Médio: a busca por um currículo integrado. 2019. 185 f. Dissertação (mestrado) – Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT), Instituto Federal Goiano Campus Morrinhos, Morrinhos, 2019.
Disponível em: https://repositorio.ifgoiano.edu.br/handle/prefix/665. Acesso em: 29 abr. 2022.
MORÁN, J. M. Influência dos meios de comunicação no conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v. 23, p. 233-238, maio/ago. 1994. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/551. Acesso em: 19 jun. 2018.
_______. O vídeo na sala de aula. Comunicação & Ciências, São Paulo, n. 2, p. 27-35, jan./abr. 1995. Universidade de São Paulo Sistema Integrado de Bibliotecas - SIBiUSP. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/36131/38851. Acesso em: 19 dez. 2018.
MUCHENSKI, F.; BEILNER, G. O uso de vídeos como recurso pedagógico para o ensino de Física: uma experiência do programa Pibid no Instituto Federal Catarinense – Campus Concórdia. Cadernos Acadêmicos, [S.l.], v. 7, n. 1, p. p. 140-154, ago. 2015. ISSN 2175-2532. Disponível em: https://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Cadernos_Academicos/article/view/3083/2181. Acesso em: 29 abr. 2022.
PACHECO, E. Os Institutos Federais: Uma Revolução na Educação Profissional e Tecnológica. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/osinstfedera.pdf. Acesso em 19 mar. 2018.
PAULA, J. L. de; PAULA, J. L. de; HENRIQUE, A. L. S. O uso do stop-motion como prática pedagógica no ensino de geografia no contexto do EMI. HOLOS, [S. l.], v. 3, p. 141–149, 2017. DOI: 10.15628/holos.2017.5774. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/5774. Acesso em: 29 abr. 2022.
REZNIK G. et al. Como adolescentes apreendem a ciência e a profissão de cientista? Estudos Feministas, Florianópolis, v. 25, n. 2, p. 829-855, maio/ago. 2017. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/381/38151031019.pdf. Acesso em: 29 jul. 2018.
SILVA, A. A. FAGUNDES, W. A.; RODRIGUES, L. P. O uso de vídeos motivacionais como recurso de aprendizagem no ensino de língua inglesa. In: MOSTRA DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E CULTURA (MECTEC), [S.I.], 2017, São Vicente do Sul. Anais Eletrônicos. São Vicente do Sul: Instituto Federal Farroupilha, 2017. p. 310-312. Disponível em: http://mectec.svs.iffarroupilha.edu.br/wp-content/uploads/2018/04/anais-mectec.pdf#page=310. Acesso em: 29 abr. 2022.
SILVA, J. L. et al. A utilização de vídeos didáticos nas aulas de química do ensino médio para abordagem histórica e contextualizada do tema vidros. Química Nova na Escola, São Paulo, v. 34, n. 4, p. 189-200, nov. 2012. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc34_4/05-PIBID-51-12.pdf. Acesso em: 12 ago. 2018.
SILVA, M. S. C. D.; LEITE, Q. S. S.; LEITE, B. S. O vídeo como ferramenta para o aprendizado de química: um estudo de caso no sertão pernambucano. Revista Tecnologias na Educação, [s.l.], v. 8, n. 14, p. 1-15, jul. 2016. Disponível em: http://tecedu.pro.br/wp-content/uploads/2016/09/Art14-ano8-vol17-dez2016.pdf. Acesso em: 19 ago. 2018.
SILVA, P. S.; ROSA, M. F. Utilização da ciência forense do seriado CSI no ensino de Química. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, Ponta Grossa, v. 6, n.
3, p. 148-160, 3 fev. 2014. Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). http://dx.doi.org/10.3895/s1982-873x2013000300009. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbect/article/view/1478/1147. Acesso em: 12 jan. 2019.
SILVA, S. D.; SILVA, V. M.; SOARES, A. C. O cinema e os quadrinhos: ferramentas alternativas para o ensino de química. In: ENCONTRO DE DEBATES SOBRE O ENSINO DE QUÍMICA, 33., 2013, Lajeado. Anais Eletrônicos. Lajeado: Unijuí, 2013. p. 1-13. Disponível em: https://www.publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/edeq/article/view/2840. Acesso em: 19 mai. 2018.
SILVEIRA, D. T.; CÓRDOVA, F. P. A pesquisa científica. In: GERHARDT, T. E. SILVEIRA, D. T. (Org.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. (Série Educação a Distância). Disponível em: http://www.ufrgs.br/cursopgdr/downloadsSerie/derad005.pdf. Acesso em: 19 jan. 2016.
SOARES, M. H. F. B.; GARCEZ, E. S. C. Um estudo do estado da arte sobre a utilização do lúdico em ensino de química. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 17, n. 1, p. 183-214, 30 abr. 2017. Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/2796. Acesso em: 10 ago. 2018.
SOUZA, A. A. et al. Situações engajadoras a partir de vídeos e experimentos no aprendizado em química: uma experiência do estágio supervisionado. In: CONGRESSO DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA EM ARAPIRACA / VII SEMINÁRIO DE ESTÁGIO, 2015, Arapiraca. Anais Eletrônicos. Universidade Federal de Alagoas, Arapiraca: Congresso de Inovação Pedagógica em Arapiraca, 2015. p. 1-15. Disponível em: http://www.seer.ufal.br/index.php/cipar/article/view/1908/1407. Acesso em: 10 ago. 2018.
SOUZA, J. I. R.; LEITE, B. S. A química nas séries de TV: um recurso para promover a aprendizagem tangencial de Portnow e Floyd no ensino de química. Experiências em Ensino de Ciências, Cuiabá, v. 12, n. 5, p. 34-46, 2017. Disponível em: http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID378/v12_n5_a2017.pdf. Acesso em: 19 jun. 2018.
_______. Utilização das séries de TV no ensino de química. Revista Virtual de Química, Rio de Janeiro, v. 10, n. 4, p. 749-766, 2018. Disponível em: http://rvq.sbq.org.br/imagebank/pdf/v10n4a02.pdf. Acesso em: 20 set. 2018.
SOUZA, V. G. R. de; TABORDA, J. C.; FREITAS, C. J. de. Desgaste da saúde mental do docente da educação básica no interior do Mato Grosso do Sul. Revista Humanidades e Inovação, Palmas, v. 8, n. 41, p., abr. 2021. Disponível em: . Acesso em: 31 ago. 2021.
VASCONCELOS, F. C. G. C.; LEÃO, M. B. C. A utilização de programas televisão como recurso didático em aulas de química. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (ENEQ) –– 15., 2010, Brasília, DF, Brasil. Anais Eletrônicos. Brasília, DF, Brasil: ENEQ, 2010. p. 1-12. Disponível em: http://www.sbq.org.br/eneq/xv/resumos/R0011-2.pdf. Acesso em: 19 jun. 2018.
_______. Utilização de recursos audiovisuais em uma estratégia FlexQuest sobre radioatividade. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 37-58,
2012. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/206/140. Acesso em: 08 jan. 2019.
VASCONCELOS, F. C. G. C.; LEÃO, M. B. C.; ARROIO, A. Produção de vídeos sobre cientistas na área de química: possibilidades de desenvolvimento da alfabetização midiática. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (ENEQ) –– 17., 2014, Ouro Preto, MG, Brasil. Anais Eletrônicos. Ouro Preto, MG, Brasil: ENEQ, 2014. p. 1-10. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/318472455. Acesso em: 01 jan. 2019.
WATANABE, A.; BALDORIA, T.; AMARAL, C. L. C. O vídeo como recurso didático no ensino de química. Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p. 1-10, jul. 2018. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/85993/49361. Acesso em: 12 jan. 2019.
Publicado
2022-07-01