ESCRITA ACADÊMICA

CONTEÚDO E ATIVIDADE NA PÓS-GRADUAÇÃO

Palavras-chave: escrita acadêmica, desafios, texto, pesquisa

Resumo

A escrita acadêmica é uma atividade complexa. Inúmeras dificuldades interpõem-se entre o pesquisador e o texto, tornando a atividade de escrita desafiadora. Nesse sentido, para contribuir no processo de escrita acadêmica, o Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado/PPGEFB, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE, campus de Francisco Beltrão, ofertou aos acadêmicos ingressantes das turmas 2020/2021 e 2021/2022 a disciplina de: Tópicos especiais em cultura, processos educativos e formação de professores: escrita acadêmica. Dessa forma, concomitante aos encontros remotos-síncronos foi proposto aos acadêmicos, como trabalho final, a produção de um relato de experiência. Esse trabalho foi sendo desenvolvido processualmente no decurso da disciplina e representa a concretização dos textos analisados e discutidos, respeitando a ordem cronológica dos eventos. Portanto, o objetivo desse trabalho é relatar a experiência das autoras em uma disciplina ofertada no ano de 2021, voltada ao desenvolvimento da escrita acadêmica. Nessa perspectiva, o texto fundamenta-se substancialmente em:  Carlino (2003); Aquino (2010); Moura C. e Moura W. (2017); e Upegui (2011). Tornar a escrita clara, desenvolver análises consistentes, estabelecer a relação entre as ideias, direcionalidade do texto e objetividade foram indicadas como dificuldades pelos estudantes cursistas da disciplina. Assim, os encontros oportunizados pela disciplina e o conteúdo analisado a partir do referencial teórico apresentaram-se como uma estratégia para superar algumas dessas dificuldades. Finalmente, escrever é uma atividade desafiadora e intensa para a qual dificilmente o pesquisador terá a seu dispor as condições ideais, por isso, lançar-se a escrever é trabalho complexo, mas não impossível.

Referências

AQUINO, Italo de Souza. Como escrever artigos científicos: sem “arrodeio” e sem medo da ABNT. São Paulo: Saraiva, 2010.

CARLINO, Paula. Alfabetización académica: un cambio necesario, algunas alternativas posibles. Educere, v. 6, n. 20, p. 409-420, ene./mar. 2003.

CARLINO, Paula. Escribir, leer, y aprender en la universidad. Una introducción a la alfabetización académica. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2005.

CHIZZOTTI, Antonio. A pesquisa educacional e o movimento “pesquisas científicas baseadas em evidências”. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 10, n. 2, jul./dez. 2015.

MACHADO, Ana Maria Netto. A relação entre a autoria e a orientação no processo de elaboração de teses e dissertações. In: BIANCHETTI, L.; MACHADO, A. M. N. (Org). A bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação e escrita de teses e dissertações. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2012. p. 60-81.

MOURA, Chico; MOURA, Wilma. Tirando de letra: orientações simples e práticas para escrever bem. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

STOCKMANNS, Jussara Isabel; PEREIRA, Viviane Aparecida Traversin. A escrita acadêmica: desafios do ato de escrever na educação superior. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/25027_12171.pdf. Acesso em: 11 de out. 2021.

UPEGUI, Alexánder Arbey Sánchez. Manual de redacción académica e investigativa: cómo escribir, evaluar y publicar artículos. Medellín: Católica del Norte Fundación Universitaria, 2011. 226 p.
Publicado
2021-12-06