REFLEXÕES SOBRE “ESCOLA JUSTA” NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

DIÁLOGOS ENTRE PROFESSOR E ALUNO

Palavras-chave: dignidade da pessoa humana, violência escolar, escola justa, direito à educação, sociedades pacíficas

Resumo

Objetiva-se uma ação solidária de estímulo ao respeito entre professor e aluno no ensino superior, para a prevenção à violência escolar, a partir de pesquisa e produto. Acolheu-se a noção “escola justa”, com Schilling (2012, 2016, 2017 e 2018), sugerindo-se uma ação preventiva com o desenvolvimento de um produto. A revisão de literatura partiu da base de dados do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), por meio da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD), aplicando-se a técnica de análise de palavras-chave. Do campo temático violência escolar: selecionou-se 28 (vinte e oito) dissertações, 09 (nove) artigos e 06 (seis) teses, pesquisados entre 2015 e 2020. A partir de Schilling (2016) prosseguiu-se à revisão de literatura, alcançando-se 07 (sete) produções focadas na noção “escola justa”. A pesquisa produziu apontamentos sobre a dignidade da pessoa humana e a noção de conflito; e pesquisou o termo violência escolar, em trabalhos sobre o Ensino Fundamental, Médio e Superior. O desenvolvimento do produto, constituído por programa preventivo em forma de jogral, valeu-se de: um roteiro com hierarquia de falas sobre escola justa, a partir de Schilling (2012); uma estrutura com uma sequência de atividades para os encontros, a partir de ‘Jogos Teatrais’, Spolin (2008); e do aporte de leituras brincadas, sob a inspiração de ‘De rodas de leitura ao caleidoscópio’, Moreira (2011). Confeccionou-se um caderno de boas práticas no ambiente escolar, propondo-se trabalhar a noção de escola justa como detonador da percepção da violência escolar, por alunos e professores no ensino superior.

 

Referências

AMADO, J.; FREIRE, I. Indisciplina e Violência na Escola - Compreender para Prevenir. Porto: Edições Asa. 2002.
BILHIM, J. Teoria organizacional - estruturas e pessoas. Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. 1996
BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/ Constituiçao.htm. Acesso em: 30 abr. 2021.
CHRISPINO, A. Gestão do conflito escolar: da classificação dos conflitos aos modelos de mediação. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 15, n. 54, p. 11-28, 2007.
DERRIDA, J. Força de Lei. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. Editora Atlas. São Paulo, 2009.
GIORDANI, J. P. Violência escolar: formas de manifestação e fatores associados. 2015.Dissertação de mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Disponível em: . Acesso em: 21 de abr. de 2021.
GUIDUCCI, J. A. Implantação da rede de apoio à cultura de paz no ambiente escolar na Superintendência Regional de Ensino de Ubá.2018. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Juiz de Fora. Disponível em: . Acesso em: 21 de nov. de 2021.
JARES, X. R. Educação e conflito. Guia de Educação. Porto: Edições ASA, 2002.
KUMAGAI, C.; MARTA, T. N. Princípio da dignidade da pessoa humana. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XIII, n. 77, jun 2010. Disponível em: com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=7830>. Acesso em: 18 abr. 2021.
MEDEIROS, B. R. Trabalho com Dignidade: Educação e Qualificação é Um Caminho? São Paulo: LTR, 2008.
MIRANDA, E. D. R. Professor mediador escolar e comunitário – (PMEC): problematizando as consideradas boas práticas. 2016. Dissertação de Mestrado Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente.
MOTA, G. N. Reflexões Sobre “Escola Justa” na Educação Superior: Diálogos Entre Professor e Aluno. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão do Trabalho para a Qualidade do Ambiente Construído). Universidade Santa Úrsula, 2021. [Orientadora: Profª. Drª. Cintia Mariza Do Amaral Moreira]
MOREIRA. C. M. A. M. De rodas de leitura ao caleidoscópio. in Anais.13ºCOLE.2011.
Campinas, UNICAMP ALB, 2011
NEVES, M. M. B. J. Queixas escolares: conceituação, discussão e modelo de atuação. São Paulo: Alínea, 2011.
NUNES, R. O Princípio Constitucional da Dignidade da Pessoa Humana: doutrina e jurisprudência. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Saraiva, 2009.
OLIVEIRA, S. B. A revalorização da palavra nas aulas de língua portuguesa: uma proposta de ação perante a violência escolar. 2015.Dissertação de mestrado. Universidade Federal do Pará. Disponível em: . Acesso em: 21 de abr. de 2021.
PANOSSO, M. G. Elaboração e avaliação da eficiência e eficácia de um programa de ensino para capacitar professores a avaliar e a intervir em situações de bullying escolar. 2019. Dissertação de mestrado. Universidade federal de São Carlos (UFSCar).
RAYO, J. T. Educação em direitos humanos: rumo a uma perspectiva global. Porto Alegre: Artmed, 2004.
ROCHA, J. M. F. Espetáculo Jogralesco: o gesto vocal. Dissertação de Mestrado. Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária. PUC.SP, 2013. Acesso em: 24 de out. de 2021.
SCHILLING, F.; ANGELUCCI, C. B. Conflitos, violências, injustiças na escola? Caminhos possíveis para uma escola justa. Cadernos de Pesquisa v.46 n.161 p.694-715 jul./set. 2016.
SCHILLING, F. Direitos, violência, justiça: reflexões. Tese (Livre Docência). Departamento de Filosofia da Educação e Ciências da Educação. Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2012.
___________. Mediação de conflitos, justiça restaurativa: caminhos para uma escola mais justa? ETD- Educação Temática Digital Campinas, SP v.20 n.2 p. 325-342 abr./jun. 2018.
SANTOS, F. N. B. Um estudo de caso sobre a violência escolar em uma instituição pública estadual do interior de Minas Gerais. 2019. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Juiz de Fora. Disponível em; . Acesso em: 21 de abr. de 2021.
SILVA, M. A. Violência escolar: estudo de caso de uma escola pública estadual da Zona da Mata Mineira. 2017. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Juiz de Fora. Disponível em:
Acesso em: 15 de abr. de 2021.
SILVA, M. J. CONFLITOS NO CONTEXTO ESCOLAR: Estratégias de monitoramento em busca de uma cultura de paz. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Pedagogia) - Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba, [S. l.], 2018. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/15281/1/MJS20112018.pdf. Acesso em: 4 abr. 2021.
SILVA, M. R. F. Violência escolar: uma avaliação do programa educação para paz, nas escolas estaduais do município de Macapá/AP. 2019. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual do Ceará, 2019. Disponível em: . Acesso em: 21 de mar. de 2021.
SPOLIN, V. Jogos Teatrais para a sala de aula: um manual para o professor. Tradução: Ingrid Dormien Koudela. São Paulo: Perspectiva, 2008.
STEFANINI, J. R. Pesquisa-ação e práticas restaurativas para a prevenção da violência escolar: percepções dos professores. 2019. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo (USP). Disponível em: . Acesso em: 18 de mar. de 2021.
STROPPA, T. V. S. Violência escolar: elaboração, implementação e avaliação de um programa de intervenção. 2017. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Juiz de Fora. Disponível em: . Acesso em: 25 de mar de 2021.
TARTUCE, F. Mediação nos conflitos civis. 4. ed., rev., atual. e ampl. - Rio de Janeiro: Forense; São Paulo: Método, 2018.
TIBÉRIO, W. A judicialização das relações escolares: um estudo sobre a produção de professores. 2011. 155 f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.
TORREGO, J. C. Mediação de conflitos em instituições educativas - manual para formação de mediadores. Porto: Edições ASA, 2003.
VALENTE, G. Os Anos Devastadores do Eduquês. Editorial Presença, 2012.
Publicado
2022-06-29