Ressignificando uma prática pedagógica de alfabetização: um novo olhar sob a égide das novas Tecnologias Digitais

  • Cristina Ferreira Branco (MPNTDE | UniCarioca |Colédio Pedro II)
  • Gilsely de C. G. do Nascimento (MPNTDE | UniCarioca | Colédio Pedro II
  • Renatho Siqueira (MPNTDE | UniCarioca)
  • André Cotelli E. Santo (NUCAP | MPNTDE | UniCarioca)
Palavras-chave: Alfabetização; letramento; ressignificação; novas tecnologias

Resumo

Este artigo se propõe a apresentar uma prática pedagógica aplicada no 1º ano do ensino fundamental em uma escola pública
da esfera federal, estando pautada nos estudos de Ferreiro e Teberosky (1986) sobre a psicogênese da língua escrita,
relacionando-os aos conceitos de letramento definidos por Soares (2005) e resgatando as técnicas usadas por Paulo Freire
na sua proposta de alfabetização, implantada entre adultos na década de 60. Essa prática trabalha com o conceito das palavras
geradoras (Freire, 1967) advindas do universo do aluno, o que torna o processo de construção da escrita significativo,
dinâmico e prazeroso. Propõe ainda apresentar a ressignificação dessa prática com o objetivo de atender às demandas
de uma geração que já nasce conectada, a chamada geração Z, que chega à escola, exigindo uma nova perspectiva para
o processo de ensino e aprendizagem. Busca-se transplantar o referido trabalho para o universo das novas tecnologias a
partir da utilização de ferramentas digitais que trarão uma nova perspectiva em sua abordagem do mesmo, promovendo
uma interação maior entre as famílias diante das telas do computador, tablet e celular, tornando esses dispositivos móveis
importantes aliados na construção do conhecimento.

Publicado
2018-09-20