DESEMPENHO NO ENADE EM CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO

UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS MODALIDADES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA.

Palavras-chave: ENADE, desempenho educacional, ensino presencial, ensino a distância, administração

Resumo

O ensino superior vem sofrendo transformações ao longo do tempo e impulsionando novas formas de ensinar. Surgem as inovações tecnológicas que beneficiam a educação e ampliam o número de ingressantes no ensino superior. Para verificar a qualidade e o desempenho de todo o sistema do ensino superior, políticas públicas de educação são instituídas, acompanhadas e evoluem de acordo com as condições e as demandas sociais. A pesquisa teve como objetivo analisar o rendimento dos concluintes dos cursos de Administração ofertados na modalidade EaD, comparando-o com o dos cursos presenciais, a fim de compreender a participação dos cursos EaD na formação dos bacharéis em Administração, no Brasil. Para alcançar o objetivo proposto, foram utilizados dados estatísticos extraídos das Sinopses da Educação Superior, disponibilizadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), referentes ao período de 2009 a 2018. Os dados extraídos e analisados são os seguintes: (i) quantitativo de cursos; (ii) vagas ofertadas; (iii) matrículas; (iv) ingressantes; e (v) concluintes. Os gráficos elaborados demonstraram o ritmo de crescimento de tais cursos, em comparação com os cursos presenciais. Além disso, problematizou-se o desempenho educacional dos cursos de Administração na modalidade EaD, frente aos cursos presenciais, indicando tendências para a formação e o exercício profissional.

Biografia do Autor

Vania Ferreira da Silva Rodrigues, Universidade Santa Úrsula

Mestre pelo MPGTQAC

Marcelle Rossi de Mello Brandão, Universidade Santa Úrsula

Docente do MPGTQAC/USU

Cintia Mariza do Amaral Moreira, Universidade Santa Úrsula

Docente MPGTQAC/ USU

cintiamariza.moreira@usu.edu.br

Referências

BIELSCHOWSKY, C. E; MASUDA, M. O. Diplomação na Educação Superior a Distância. Em Rede, Revista da Educação a Distância, v.5, n.1, 2017.
BRASIL. Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004, Institui o Sistema nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 15 mar. 2004. Seção I, p. ¾. Disponível em: Acesso em: 27/04/2019.
CASSUNDÉ, F. R. S. A . Desenvolvimento de E-competências para o Ensino na EaD e a Influência das Condições Institucionais: um Estudo em uma IES Federal. 2015. Disponível em: . Acesso em: 27/04/2019
CRA – Conselho Regional de Administração. Disponível em: http://www.craba.org.br/Pagina/58/Historico-dos-Cursos-de-Administracao-no-Brasil.aspx>. Acesso em: 21/04/2019.
FGV. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/viewFile/9047/8180> Acesso em: 21/04/2019
GADOTTI, M. Qualidade na Educação: uma nova abordagem. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2010.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5ª ed. São Paulo: Atlas, 2010.
INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Conceito Enade. 2009, 2012 e 2015. Disponível em: . Acesso em: 22/04/2019.
LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.
LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: apontamentos sobre a pedagogia do exame. Tec. Educ., v.20, n.101, p.82 – 86, 1991.
______. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 22ª ed. São Paulo: Cortez, 2011.
MANCEBO, D.; VALE, A. A.; MARTINS,T.B. Políticas de Expansão da Educação Superior no Brasil 1995-2010. Revista Brasileira de Educação, v. 2, n. 60, jan-mar., 2015. Disponível em: . Acesso em: 17/07/2019.
MEC – Ministério da Educação. Perguntas frequentes sobre educação superior. 2019. Disponível em: . Acesso em: 22/04/2019.
MEC – Ministério da Educação e Cultura. Disponível em . Acesso em: 15, 17, 19, 20, 22, 24, 26/07/2019.
MEC – Ministério da Educação e Cultura. Disponível em: . Acesso em: 20/08/2020 a 26/08/2020.
MORAN, J; BACICH, L. Metodologias Ativas para uma Educação: uma abordagem Teórico-prática. Rio de Janeiro: Editora Penso, 2017.
MOTTA, Ana Carolina de Gouvêa Dantas; THIOLLENT, Michel. Abordagem crítica nos estudos organizacionais no Brasil: grupos de pesquisa e iniciativas em universidades. In: Anais do Congresso Brasileiro de Estudos Organizacionais. 2016.
NICOLINI, A. Padrão Enade: Análise, Reflexões e Proposições à Luz da Taxionomia de Bloom. Rio de Janeiro: Editora Atlas, 2015.
QUEZADA, M. M.; Rama, C. Los Problemas de la evaluación de la Educación a Distancia em América latiba y el Caribe. Disponível em: . Acesso em: 17/07/2019.
ROTHEN, J. C; SANTANA, A. C. M. Avaliação e Qualidade da Educação para além do ranqueamento. In: Marinalva Vieira Barbosa et.al (Org.). A Boniteza de ensinar e a identidade do professor na contemporaneidade. 1ª ed. Campinas, SP: Mercado de Letras, p.177-192, 2015.
SIQUEIRA, E. Tecnologias que mudam nossa vida. São Paulo: Editora Saraiva, 2007.
SOARES, M., FRAGOSO, V.; CRUZ, F. (2018). Atividade Online como Dispositivo Formativo em EaD: um exemplo do Experimento de Titulação. Revista EaD em Foco, 2018. Doi.org/10.18264/eadf.v8i1.743.
TAVARES, M. G. M.; ROTHEN, J. C.; SANTANA, A. C. M. O Discurso da Qualidade em Periódicos Internacionais e Nacionais: uma análise crítica. Revista Educação em Questão, (UFRN impresso) v. 51, p. 251-273, 2015.
Publicado
2022-06-29