PERCEPÇÕES SOBRE CIDADANIA, ERGONOMIA E PROMOÇÃO DE SAÚDE EM REFLEXÕES SOBRE O ENSINO REMOTO EMERGENCIAL DURANTE A PANDEMIA DO COVID 19

A PROPOSTA DE UM TUTORIAL DIGITAL COM DEZ DICAS PARA PROFESSORES

Palavras-chave: ensino remoto emergencial, saúde ocupacional, ergonomia

Resumo

INTRODUÇÃO. A ciência que estuda a dinâmica laboral é a ergonomia que, ao promover a busca pelo aprimoramento e eficiência do trabalho, também evita potenciais agravos de saúde. O surto mundial causado pelo coronavírus SARS-CoV-2, denominado COVID-19, evocou novos cenários de ação em saúde relacionado principalmente à fácil transmissibilidade do vírus nas coletividades. O ensino remoto emergencial emergiu como alternativa de reflexões acerca de cidadania e, na educação, para aplicação de estratégias de adaptação didática para a manutenção de ensino-aprendizagem neste período. OBJETIVO. Sintetizar 10 dicas para a promoção de saúde para aulas no ensino remoto emergencial para os professores. METODOLOGIA. Este estudo trata-se de uma revisão bibliográfica associada a proposta de um tutorial digital  com 10 dicas de cuidados de saúde do professor relacionados ao ensino remoto emergencial (ERE) no contexto da pandemia do COVID 19. RESULTADOS. Foram apresentados 10 dicas para o bom desenvolvimento de aulas virtuais em tempos de ERE envolvendo cuidados com destaque às instalações elétricas, cuidados visuais, cuidados acústicos, posturais, luminosidade, atenção psicológica e social relacionada ao professor e família. CONCLUSÃO. A medida que os professores passam a desenvolver rotinas de autocuidado em relação a prática profissional no ambiente domiciliar e virtual a contenção de uma epidemia de patologias secundárias a tecnificação do trabalho se concretiza na forma de boas práticas. Assim, muitos prejuízos econômicos e sociais advindos dos tratamentos dos agravos de saúde citados como presenteísmo, perda de produtividade e diminuição qualidade de vida poderão ser prevenidos ou minimizados. 

Referências

SCHNEIDER, H. N. Ergonomia das interfaces humano-computador como princípio de qualidade em EaD. Didática e Práticas de Ensino: diálogos sobre a Escola, a Formação de Professores e a Sociedade, EdUECE Livro 4, 2014.
RODRIGUES, N. H.; SILVA, L.G.A. Gestão da pandemia Coronavírus em um hospital: relato de experiência profissional. J. nurs. health. 10(n.esp.):e20104004, 2020.
MOREIRA, J.A.M.; HENRIQUES, S.; BARROS, D. Transitando de um ensino remoto emergencial para uma educação digital em rede, em tempos de pandemia. Dialogia, São Paulo, n. 34, p. 351-364, jan./abr, 2020.
PURIM, K.S.M.; OLIVEIRA, R.S.C.; FIX, D. et al. Avaliação e triagem da acuidade visual em escolares de primeira infância. Rev.bras.oftalmol. vol.78 no.2 Rio de Janeiro, mar./abr, 2019.
SOUZA, P.O.; LEAL, S.S.; CARVALHO, M.E.I. Lombalgia, hábitos posturais e comportamentais em acadêmicos de Fisioterapia e Psicologia em uma instituição de ensino superior. Fisioterapia Brasil 18(5):563-570, 2017.
FONTANA, R.T.; PINHEIRO, D.A. Condições de saúde autorreferidas de professores de uma universidade regional. Rev. Gaúcha Enferm., Porto Alegre (RS), 31 (2): 270-6, 2010.
APPENZELLER, S.; MENEZES, F.H; SANTOS, G.G. et al. Novos tempos, novos desafios: estratégias para equidade de acesso ao Ensino Remoto Emergencial. Rev. Bras. Educ. Méd. 44 (1): e0155, 2020.
ROCHA, V.M.; FERNANDES, M.H. Qualidade de vida de professores do ensino fundamental: uma perspectiva para a promoção da saúde do trabalhador. J Bras Psiquiatr. 57(1):23-27, 2008.
Publicado
2022-06-29