TECNOLOGIA SOCIAL PARA PROPAGAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS

Palavras-chave: direitos humanos; educação; educação não escolar; emancipação social; tecnologia social

Resumo

Apesar das políticas públicas que legislam sobre os direitos humanos e das diretrizes estabelecidas na base nacional comum curricular (BNCC) que versam sobre a educação em direitos humanos, a aplicabilidade de tais leis e formação acadêmica não são percebidas de forma efetiva. É importante não apenas pensarmos na educação como direito humano, mas também exercitá-la, com práticas voltadas ao contexto de vida de cada indivíduo, para que se estimule a desconstrução dos estereótipos estão inseridos na população privilegiada com relação a própria concepção de direitos humanos. O objetivo geral desse trabalho foi o de buscar caminhos de transformação das vidas das pessoas que vivem em condições de vulnerabilidade social, com base em tecnologias sociais, para que, a médio e longo prazo, seja possível encontrar o equilíbrio das políticas públicas existentes e da educação e prática dos direitos humanos. Foi realizada revisão sistemática da literatura de autores clássicos e estado da arte, sobre temas como educação em direitos humanos, visibilidade e emancipação social, o papel da mídia dominante na sociedade e, finalmente, a educação não escolar. Como conclusão desse artigo, sugeriu-se a necessidade de divulgação mais ampla dos direitos humanos através de tecnologia social, em espaços não escolares, facilitada por mediadores especialistas, como o uso da aprendizagem colaborativa. Importante salientar a relevância da mídia positiva como veículo propagador de tal mobilização na busca de maior visibilidade social para as camadas em situação de vulnerabilidade.

Biografia do Autor

Renato Guimarães Rodrigues, Pesquisador em Tec. Social para Popularização da Ciência e Direitos Humanos

Possuo mais de 30 anos de experiência profissional no Brasil e Exterior com destaque a projetos de melhoria continua, onde abordamos mudanças em estruturas organizacionais, processos, sistemas, ambiente e principalmente no comportamento das pessoa

Profissional apaixonado pelo que faz. Acredito nas pessoas e na capacidade de cada indivíduo de se adaptar às mudanças por mais desafiadoras que essas sejam. Com dedicação, curiosidade, criatividade, disciplina e resiliência é possível suceder mesmo nos ambientes mais hostis.

Possuo vasta habilidade para trabalho em ambiente virtual, já tendo liderado diversos projetos de migração de atividades para centros de serviços compartilhados (CSCs) no exterior (Índia, Filipinas, Polônia)

Estatístico por formação, atualmente uso ferramentas analíticas para projetos de lean six-sigma.

Certificado Green Belt e treinado em Black Belt, com certificação ainda em curso (planejada para final de 2019), porém já tendo liderado vários projetos dentro da metodologia, gerando e protegendo valor para a empresa além de estimular a cultura de excelência operacional na organização

Fluente na língua inglesa em todos os fundamentos e bom domínio da língua espanhola, principalmente espanhol para negócios

Co-represento a empresa no comitê de transformação digital dentro do IBP (Instituto Brasileiro de Petróleo)

Pós-graduado em Engenharia de Produção pela UERJ com MBA em Controladoria pela CEFET.

Certificado pelo PMI como Project Management Professional (PMP)

Veronica Eloi Almeida, UNICARIOCA

Doutora em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) da UFRJ (2012), possui mestrado em Sociologia pela mesma instituição (2003), é graduada em Ciências Sociais (bacharel e licenciada) pela UERJ (1999). Tem experiência nas áreas de Educação, Sociologia e Sociologia da Cultura, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura de massa e cultura brasileira, ensino, aprendizagem e cibercultura, e educação inclusiva. Docente do Ensino Superior nas modalidades presencial e a distância. Compõe o corpo docente do mestrado profissional em Novas Tecnologias Digitais na Educação, da Unicarioca. É avaliadora de cursos pelo MEC BASis/INEP desde 2018.

Alessandro Jatoba, UNICARIOCA

Atuo na Estação de Pesquisa em Políticas Públicas e Sociais do Centro de Estudos Estratégicos/FIOCRUZ, professor do Programa de Mestrado em Novas Tecnologias Digitais na Educação/UniCarioca e pesquisador do Grupo de Ergonomia e Novas Tecnologias da COPPE/UFRJ. Meus interesses de pesquisa envolvem o trabalho em saúde pública e aprendizagem colaborativa. Realizo pesquisas sobre Coordenação do Cuidado em Saúde Pública, Educação à Distância e Aprendizagem Colaborativa Mediada por Computador. Minha formação inclui um doutorado-sanduíche no departamento de Systems Design Engineering da Universidade de Waterloo, Canadá (2014-2015), Doutorado em Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ, além de mestrado em Ciência da Computação pela UFRJ.

Referências

ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.
BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011
BAUMAN, Zygmunt. A riqueza de poucos beneficia todos nós? Rio de Janeiro: Zahar, 2015.
BRASIL, Constituição (1988), Artigos 1º, 4º, 6º, 205 e 227 da Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais de revisão nos 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo no 186/2008. – Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2016.
BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília, 2018.’
BRASIL, Ministério dos Direitos Humanos, Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos – Brasília, 2018
BRASIL, Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Educação em Direitos Humanos: Diretrizes Nacionais – Brasília: Coordenação Geral de Educação em SDH/PR, Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, 2013.
CANDAU, Vera Maria Ferrão. Direito à educação, diversidade e educação em direitos humanos, Educ. Soc., Campinas, v. 33, n. 120, p. 715-726, jul.-set. 2012
CHRISTOPOULOS, Tania. Tecnologias sociais. Rev. adm. empres., São Paulo, v. 51, n. 1, p. 109, fev.2011. https://doi.org/10.1590/S0034-75902011000100011.
CRUZ, Fábio Souza, MOURA, Marcelo Oliveira. Os Direitos Humanos como Produto: reflexões sobre a informação e a cultura da mídia, Florianópolis: Seqüência, n. 65, p. 79-102, dez. 2012
FONSECA, Vitor da. Desenvolvimento Cognitivo e Processo de Ensino-Aprendizagem: abordagem psicopedagógica à luz de Vigotsky. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2018.
FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação; uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. - São Paulo: Moraes, 1980.
FUHRMANN, Nadia, PAULO, Fernanda dos Santos. A Formação de Educadores na Educação Não Formal, Campinas: Educação & Sociedade, v. 35, n. 127, p. 551-566, abr.-jun. 2014
KELLNER, Douglas. A cultura da mídia, São Paulo: EDUSC, 2001.
LAVILLE, Christian, DIONNE, Jean. A Construção do Saber: Manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas, Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999 (reimpressão 2008).
LIXO Extraordinário, Direção de Lucy Walker, João Jardim e Karen Harley. Rio de Janeiro: Almega Projects O2 filmes, 2010. (100 min.).
MARQUES, Joana Brás Varanda, FREITAS, Denise de. Fatores de caracterização da educação não formal: uma revisão da literatura, São Paulo: Educ. Pesquisa, v. 43, n. 4, p. 1087-1110, out./dez., 2017.
McCOWAN, T. O direito humano à aprendizagem e a aprendizagem dos direitos humanos, Educar em Revista, n. 55, p. 25-46, - Curitiba: Editora UFPR, jan/mar 2015
MORAN, José, Mudando a educação com metodologias ativas, Coleção mídias contemporâneas - São Paulo: PROEX/UEPG, 2015.
NAÇÕES UNIDAS, Declaração Universal dos Direitos Humanos, Artigo I, UNIC/Rio/005, janeiro 2009, (DPI/876), Unidade 2, Capítulo 2.3, p.34
NAÇÕES UNIDAS BRASIL, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, , Acesso em: 19 de Dec. de 2020
NEGRINI, Michele, AUGUSTINI, Alexandre Rossato. O legado de Guy Debord: reflexões sobre o espetáculo a partir de sua obra, Acesso em: 29/05/2021
PERRENOUD, Philippe. Escola e Cidadania: O Papel da Escola da formação para a democracia, Porto Alegre: Artmed, 2005.
RIZZINI, Irene, BARKER, Gary e CASSANIGA, Neide. Criança não é risco, é oportunidade. Fortalecendo as bases de apoio familiares e comunitárias para crianças e adolescentes. Rio de Janeiro: USU Ed. Universitária: Instituto PROMUNDO, 2000.
RODRIGUES, Renato Guimarães, SILVA, José Luiz Teixeira, SILVA, Marcos Antonio. Aprofundando o conhecimento sobre a zona de desenvolvimento proximal (ZDP) de Vigotsky, Rio de Janeiro: Recite, Vol 6, 2021, p.20-15; doi https://doi.org/10.17648/2596-058X-recite-v6n1-1
SACAVINO, S (Orgs.). Educação em direitos humanos: temas, questões e propostas. Petrópolis: DP et Alli Editora, 2008.
SALOMON, Marta. Além da manada. In: CANELA, Guilherme (Org.) Políticas públicas sociais e os desafios para o jornalismo. São Paulo: Cortez Editora, 2008.
SEVERO, José Leonardo Rolim de Lima. Educação não escolar como campo de práticas pedagógicas, Brasília: Rev. bras. Estud. pedagog. (online), v. 96, n. 244, p. 561-576, set./dez. 2015. http://dx.doi.org/10.1590/S2176-6681/345513545
SILVA, Caroline Lima, SARRIERA, Jorge Castellá. Promover a justiça social: Compromisso ético para relações comunitárias, Belo Horizonte: Psicologia & Sociedade, 28(2), 380-386, 2015.
THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa-Ação, - 18ª ed – São Paulo: Cortez, 2011.
Publicado
2022-07-01