SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS PERMEADAS POR TECNOLOGIAS DIGITAIS

UMA PROPOSTA INOVADORA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL.

  • Rosayna Frota Bazhuni Supervisora Educacional na Fundação Municipal de Educação de Niterói. https://orcid.org/0000-0003-2618-0233
  • Tharcila de Abreu Almeida Professora de Educação Infantil da Fundação Municipal de Educação de Niterói. https://orcid.org/0000-0002-7429-0421
  • Soyane De Sant'anna Pedretti Professora de Ensino Fundamental II da Prefeitura de Macaé- RJ. https://orcid.org/0000-0002-1234-3372
  • Ana Paula Legey Professora no Centro Universitário UniCarioca / Pesquisadora Colaboradora na área de Divulgação Científica no Instituto de Engenharia Nuclear / Doutora em Divulgação Científica (IEN/CNEN). https://orcid.org/0000-0002-9056-9844
  • André Do Espírito Santo Cotelli Colaborador de Projetos no Instituto de Engenharia Nuclear. Professor no Centro Universitário Carioca. Mestre em Ciência e Tecnologia Nucleares pelo IEN. Doutorando em Gestão de Sistemas Complexos pelo PPGI/UFRJ. https://orcid.org/0000-0002-6593-5259
  • Antonio Carlos de Abreu Mól Pró-Reitor de Ensino na Comissão Nacional de Energia Nuclear. Pesquisador INCT. Professor no Centro Universitário Carioca. Doutor em Engenharia Nuclear pela COPPE/UFRJ. https://orcid.org/0000-0002-1744-1692
  • Marcos Antonio Silva Mestre em educação em ciências e saúde - NUTES da UFRJ. Pesquisador e Professor no Centro Universitário UniCarioca. https://orcid.org/0000-0002-8547-1359
Palavras-chave: Sequência didática, Novas tecnologias, Educação infantil

Resumo

O presente estudo tem o objetivo de avaliar a utilização de Sequência Didática elaborada por professores e alunos de um curso de Mestrado e disponibilizada por meio de uma Plataforma Digital Educativa, a fim de auxiliar docentes de escolas públicas e particulares, discentes, bem como suas respectivas famílias, em tempos de pandemia da COVID-19. Para tal elaboramos uma Sequência Didática e posteriormente desenvolvemos um questionário para avaliar a mesma, com questões de acordo com a escala de Likert para serem respondidas por professores que atuam na Educação Básica das redes de ensino do Estado do Rio de Janeiro e proximidades. Os resultados apontam que essas atividades facilitam o processo de aprendizagem sobre qualquer assunto, atendendo a necessidade de implementação de novas tecnologias na Educação Infantil, contemplando os eixos previstos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), por meio de aulas motivadoras e significativas para as crianças, que se encontravam em situação de isolamento social.

 

Referências

ABREU, A. C. A. O cenário desafiador da Pandemia e a Educação Infantil. RECITE- Revista Carioca de Ciência e Tecnologia e Educação, Rio de Janeiro, v.5, n. especial,2020. Disponível em: https://recite.unicarioca.edu.br/rccte/index.php/rccte/article/view/144/137. Acesso em: abr. 2021.

ALMEIDA, G. P. de. Neurociência e sequência didática para educação infantil. 2ed. Rio de Janeiro: Waak, 2015.

ALMEIDA, T. A.; LEGEY, A.P.; CONRADO, L.M.S. Comunicação em tempos de pandemia: as mídias sociais na Educação Infantil. RECITE – Revista Carioca de Ciência, Tecnologia e Educação, Rio de Janeiro, v. 5, n. especial, 2020. Disponível em: https://recite.unicarioca.edu.br/rccte/index.php/rccte/article/view/135/157. Acesso em: abr. 2021.

ARANTES, S. da S. F. Sequências didáticas com foco na alfabetização e letramento mediadas pelas novas tecnologias digitais. Rio de Janeiro: Centro Universitario Carioca, 2019.

AUSUBEL. D.P. The aquisition and retention of knowledge: a cognitive view. Dordrecht: Kluwer Academic Pubishers, 2000.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BAZHUNI, R. F.; SILVA, L. R. Ações de docência na pandemia: Desafios e Oportunidades com as novas tecnologias digitais. RECITE – Revista Carioca de Ciência, Tecnologia e Educação, Rio de Janeiro, v. 5, n. especial, 2020. Disponível em: https://recite.unicarioca.edu.br/rccte/index.php/rccte/article/view/141/163 . Acesso em: abr. 2021.

BERALDII, G. M. et al. “Lazer Produtivo: Uma proposta de aprendizagem distraída para a disciplina de desenho geométrico" E-Mosaicos, 6.12 (2017): 162-175.

BRASIL. Ministério da Educação. BNCC – Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação / Secretaria Executiva / Secretaria de Educação Básica / Conselho Nacional de Educação, 2019.

CHISTÉ, B. S.; SOUZA, C. M. P. S. " Percepções, Sentidos e Sensações de professoras da Educação Infantil: Alguns Atravessamentos". E-Mosaicos, 9.22 (2020): 150-165.

FERREIRA, E. M. da S. A educação bilíngue na educação infantil: uma experiência pedagógica com crianças de 2 anos. Brasília : Universidade de Brasília, 2012. 55f (Trabalho Final de Curso de Licenciatura em Pedagogia)

FLORIDO, R.; PEREZ, A. Internet: Un recurso Educativo. Revista científica electrónica de Educación y Comunicación en la Sociedad del Conocimiento, ano I, n. 2, dez. 2003.

FOLQUITTO, C. T. Teorias de ensino-aprendizagem na educação infantil. São Paulo: Editora SENAC, 2018.

GIL, H.; TOSCANO, C. O contributo da aplicação digital Kahoot! nas aprendizagens no 1º ciclo do ensino básico. In:CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO,11, Braga, Universidade do Minho, p.385-394, mai. 2019.

LIMA, G. Lendo Imagens. In: MACHADO, A. M.; LAGO, A.; QUEIRÓS, B. C. de; BETTOLLI, Cecilia. Nos caminhos da literatura. São Paulo: Peirópolis, 2008. p. 36-43.

MELO, B. J. A.; VIEIRA, B. S.; ROCHA, T. M.; MARTINS, B.; FREITAS, V. G. Proposta de dinamização da prática de revisão de conteúdos no Ensino Fundamental II através do uso da Ferramenta Kahoot. RECITE – Revista Carioca de Ciência, Tecnologia e Educação, Rio de Janeiro, v. 03, n. 01, 2018 . Disponível em: https://recite.unicarioca.edu.br/rccte/index.php/rccte/article/view/33/43. Acesso em: jun. 2021.

MORAN, J.M. Contribuições para uma pedagogia da educação on-line. In: SILVA, M.(org). Educação on-line. São Paulo: Edições Loyola, 2003.

OLIVEIRA, M. M. Sequência didática interativa no processo de formação de professores. Petrópolis: Vozes, 2013.

PONTE, J. P. Tecnologias de informação e comunicação na formação de professores: que desafios? Revista Ibero-Americana de Educação, Portugal, n.24, 2000.

PRENSKY, M. Digital Natives, Digital Immigrants. On the Orizon, NCB University Press, vol. 9, n. 5, oct. 2001. Disponível em: https://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20-%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf . Acesso em: jun. 2020.

QUEIROZ, M. D. M. de; PAULUCCI, M.B.; FERREIRA, C.S; PINHO, L.M.; LEITE, V. P. C; LEGEY, A. P.; MÓL, A. C; COTELLI, A.; SILVA, M.A. Sequências didáticas como suporte pedagógico na pandemia: “ Reciclagem na quarentena”. RECITE – Revista Carioca de Ciência, Tecnologia e Educação, Rio de Janeiro, v. 05, n. especial, 2020. Disponível em: https://recite.unicarioca.edu.br/rccte/index.php/rccte/issue/view/9 . Acesso em: jun. 2020.

RIBEIRO, M.J.B.; PONTE, J.P. A formação em novas tecnologias e as concepções e práticas dos professores de matemática. Revista Quadrante, n.9, v.2, p.3-26, 2000.

ROGERS, C. R. Tornar-se pessoa.5. Ed São Paulo: Martins, 2001.

TAVARES, R. Aprendizagem significativa. Revista Conceitos, João Pessoa, p. 55-60, jun. 2003/jul. 2004. Disponível em: http://www.fisica.ufpb.br/~Romero/objetosaprendizagem/Rived/Artigos/2004- RevistaConceitos.pdf . Acesso em: nov. 2020.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Trad. Ernani F. da Rosa- Porto Alegre: ArtMed, 1998.
Publicado
2021-07-01